30 de agosto de 2008

Tired...

Quando eu era jovem, tinha um blog.
Eu achava a coisa "mais legal do universo" poder escrever e essa informação ficar acessível para todo o mundo.
Foram anos alimentando a rede internacional de computadores com as minhas idéias e coisas da minha vida, do dia a dia.
No fim das contas acho, hoje, que voltei a buscar essa prática por algum motivo diferente.
Sabe quando a gente precisa falar, ou melhor, gritar, e sabemos que o que queremo gritar é completamente insano e nada interessante ou construtivo para ninguém?

Hoje em dia se dá melhor quem fala menos, pelo menos é o que parece nas menores instâncias. Porque as maiores instâncias estão livres disso.
Quem vive sob holofotes fala o que quer, na hora que bem entende, é um pouco admirado, muito criticado e na semana seguinte pouco se lembra do que foi falado.
No nosso dia a dia é diferente - temos que cuidar MUITO com as coisas faladas.
O que pensamos hoje pode ser completamente diferente de amanhã, e nessa situação sempre haverá um dedo delatador nos apontando e julgando falsos, instáveis, incoerentes...

É a vida.

Eu mesma, não posso estar em pior situação - por ser mulher, pode-se dizer que eu FALO PRA CARAMBA. Posso estar até fazendo uma generalização leviana, mas ao que eu posso observar, mulher realmente FALA MUITO.
Algumas situações inclusive podem interferir na cabeça de nós, pobres criaturas imperfeitas, e fazer com que falemos mais e mais e mais.
Pela lógica, juntando-se 2 mulheres num mesmo ambiente, ambas deveriam falar menos, porque teoricamente, enquanto uma falaria a outra estaria escutando...
Contrariamente todas essas expectativas, quanto mais mulheres juntas na mesma sala, maior o número de palavras que cada uma delas fala!

Outra coisa que pode interferir no "falar" feminino é o estado de humor.
Mau-humor, Bom-Humor... As mulheres falam. O Bom-Humor via de regra faz falarem mais, e mais rápido, e mais alto. O Mau-Humor algumas vezes pode diminuir o número de palavras proferidas, mas faz com que a mulher continue falando ainda mais por todos os poros.

Eu tenho TPM.
Uma TPM indomável.
Quando acordo me sentindo um pouco estranha, penso no meu calendário menstrual e faço as contas - vou menstruar em alguns dias.
São 10. Dez dias de vontade de morrer, de matar alguém, de sumir, de largar o emprego... Agressividade, choro compulsivo e TAGARELICE.
Mau-humor, ansiedade, e não consigo parar de falar de jeito nenhum...

Falar nesse estado é muito perigoso, porque a gente fala o que a gente não pensa. Até porque é uma época em que a gente não pensa mesmo, não existe cognição alguma.

Eu tenho FUGA DE IDÉIAS, é uma condição psiquiátrica...

E Desconsiderem o que eu disser na TPM...

Um comentário:

Ana disse...

Falar é tão saudável que as pessoas pagam para fazer terapia!
Portanto... tudo bem!!

Eu só fico muda quando tô absolutamente injuriada com alguma coisa!